segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Saúde


Ampliar e descentralizar os serviços de saúde realizados no município é umas das metas da Prefeitura de Ananindeua, em 2012.  O trabalho, que já vem sendo realizado com a inauguração de novas Unidades Básicas de Saúde, será expandido com a descentralização de alguns serviços.

Os testes de HIV, por exemplo, serão disponibilizados nos cinco polos de saúde. Segundo a Coordenadora Municipal de DST/AIDS, Margareth Imbiriba, o objetivo é ampliar o acesso ao teste já que, em 2011, foi observada uma procura maior pelo exame. Atualmente, o teste é realizado somente no Centro de Testagem e Aconselhamento em DST e AIDS (CTA).

O município aumentará também as ações de combate à dengue. Em janeiro, vai disponibilizar o teste rápido de identificação da doença em todos os polos de saúde. O exame evidencia, em 20 minutos, se o paciente adquiriu ou não a doença, o que pode evitar o agravamento.  “Com os testes, conseguiremos melhorar o tratamento e evitar o óbito”, explicou a coordenadora de Vigilância Ambiental, Sandra Souza.

Em 2011, Ananindeua conseguiu reduzir as ocorrências de dengue, de acordo com dados do Ministério da Saúde.  No ranking das 32 cidades paraenses que realizaram o LIRa, o município ficou entre as três que apresentaram redução mais significativa de casos da doença.

Uma inovação e, que no próximo ano será intensificada, é o sistema de Telemedicina. Ananindeua é o único município do Pará que permite o resultado do exame eletrocardiograma de pacientes com suspeita de infarto em cinco minutos, e conecta online a Unidade de Urgência e Emergência da Cidade Nova VI e o Instituto do Coração em São Paulo.

O sistema já funciona desde novembro, atendendo cerca de 50 pacientes por mês. “Não precisamos mais encaminhar os pacientes pra Belém, o sistema permite maior agilidade aos usuários. A parceria deu certo e vai salvar muitas vidas”, afirmou a Secretária de Saúde, Ivete Vaz.

Em 2012, Ananindeua contará com a Rede Cegonha que prevê a qualidade do pré-natal e a vinculação da gestante à unidade de referência. O projeto começa atendendo as áreas cobertas pelos polos I, II e V e as gestantes serão vinculadas ao Hospital Anita Gerosa. Com a Rede, as grávidas saberão, com antecedência, onde darão à luz.

A atenção à saúde será ampliada ainda com as inaugurações, em janeiro, de mais duas unidades de saúde nos bairros Pedreirinha e Icuí. Nas unidades, equipes formadas por médicos, enfermeiros, ondontólogos e técnicos de enfermagem farão o atendimento da população. Isto é resultado de mais investimento da ampliação da atenção básica de saúde e na prevenção de doenças.

Um comentário:

  1. Vejamos como são as coisas. O Pará é imenso e todos cheio de carência. Porém, Belém e área metropolitana, em relação as demais, nem pode se queixar de falta de vaga pública para fazer curso tecnológico ou superior. Só na UFPa, como no ano passado, sobraram mais de mil, que foram preenchidas depois com uma provinha de marcar, uma verdadeira babada. Porém, veja só essa notícia: http://edilzafontes.blogspot.com/2011/12/ifpa-de-ananindeua.html. Estão inaugurando mais um IFPA em Ananindeua, onde ainda será construída mais um UEPA e mais uma UFPA. O que esses dizes é uma coisa só: que os demais se lasquem.

    ResponderExcluir